terça-feira, 1 de março de 2011

EU SOU DA TERRA



Sou da terra pé no chão
Breijeira, roçeira, e no canto
Teu encanto, no amor, ah!
Este amor!
Escudo do teu pranto
Mudo de canto em canto
Só por um Beijo,
Meu grito, ecoa longe,
Sou eu teu amor,
As folhas caidas eu vejo
Nelas deito a tua espera,
Sou a tua costela,
Teu fogo, tua rima,
Tenho em mim, teu
Suspiro, meu ar,
No sussuro do mar
Te vejo, me encanto
Escuto teu pranto
Chamando por mim.

Poetisa menduiña

2 comentários:

Jefhcardoso disse...

Chiquinha, ter consciência de si é o princípio de qualquer forma eficiente de linguagem e comunicação, o resto é ensaio. Poetisa Menduiña soube dizer de si para todos.

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Convido-te para que leia algo e comente no http://jefhcardoso.blogspot.com

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Amiga, sua expressão da vida é visceral, uma poesia que flui e encanta...
Abraços, Jorge Bichuetti...
PS: Quanto tiver alguma possia que possa multiplicare e xpandir , me envie , gostaria de incorporar-la no meu blog, que possui um espaço que chamo Sociedade de Amigos...
Meu blog é www.jorge bichuetti.blogspot.com
abraços com ternura, Jorge