terça-feira, 27 de abril de 2010

APENAS TU


Queria saber como passas assim
Sem me dar atenção, esbravejo
De dor e paixão, teu coração não
Percebe minha intenção!! Sou eu!
Aquela que te deu amor!
Que desbravou teus limites, e te amou!
Miserável eu seria se não sofresse!
Óbvio, não consigo!
Vives no âmago de minha alma,
Ferida, como fera rebusco o amor
A chave do meu coração vos dei!!
E perdi a cópia!
Caminho por veredas estreitas!!!
Sozinha, sim!
Bebo do leite derramado por ti!!!
Sacio minha sede!!!
E passaste!! Te foste como folhas
Ao vento!!!
Nos  caminhos, embravecida andei!!
Po fim sem ti voltei, e chorei!!!

Poetisa Menduina









Um comentário:

Vozes de Minha Alma disse...

E eu volto ao teu sagrado recinto para te agradecer as palavras tão generosas.
quero deixar então, o meu abraço afetuoso, um beijo, e até breve.