quarta-feira, 28 de abril de 2010

MINHA NOITE


Anoiteceu e eu aqui, olho a Lua,
Reconheço no seu esplendor
A dor que sinto quando não te
Vejo, fecho os olhos, as lágrimas
Vertem como o clamor do meu
Amor!
Passo as mãos em mim e sinto
Meu corpo vibrar, no desejo e
Com mansidão, deixo a janela
Aberta, e no clarão da lua eu
Sinto pujante sem recato total
Teu desejo,
Sento na cama, sei que não vens
Meu coração se contorce quase
Perco o fôlego no prazer, assim
Percorro todo meu corpo e
Penso em ti,
Assim a noite passa e um novo
Dia virá com certeza.

Poetisa Menduina

Um comentário:

Vozes de Minha Alma disse...

com certeza a noite passará e eu estarei esperando outros lindos poemas da querida poetisa.