sábado, 27 de fevereiro de 2010

Te Amo Sem Querer




Quando te tenho perto de mim perco a noção do certo e errado
Este teu corpo mereno, tua boca quando me beija sinto o mundo
Apagar-se apenas nós dois aqui vivemos e assim podemos amar
Deito em teus braços fortes, sinto o frescor da tua boca na minha




Teu sexo no meu e enlouqueço de prazer e me entrego toda a
Ti sem pensar em nada, se és meu ou não nada importa apenas te
quero assim, do meu lado sendo meu com ardor deste amor sem
Fim, e voltanos poderadamente, tudo de novo e sinto teus beijos
Por todo meu corpo despudoradamente, e voltamos a sentir tudo
Outra vêz, com se fosse a primeira de nossas vidas.

Poetisa Menduina

2 comentários:

Antônio Lídio Gomes disse...

francisca:

Dando vida

O poeta diz, escreve e fala
dando vida a tudo
dando vida a nada
feito uns gênios
místicos, iluminados.
Filósofos, obcecados
dão vida a tudo
dão vida às palavras.
Tornando real seu mundo
sentimentos perpetuados.
Dando vida a sonhos
dando vida a alguém
que hoje o tempo encerra
mas o tempo solene resgata...

bjs.

▒▓█► JOTA ◄█▓▒ disse...

ººº
Carissima homónima Virginiana.

Bloguinho interessante, voltarei