quinta-feira, 4 de março de 2010

FLOR



A flor de que era feito o nosso amor
Molho-se com a chuva
Gelou de tanto frio e mesmo assim
Não se quebrou.

Oh! flor
Se lhe maltrataram só por mal
Torna-se um translúcido cristal
Se lhe vem com crueldades
Exalta teu perfume pra toda cidade.

Oh! flor
Nascida de um peito sem graça e sem jeito
Sem nenhum espinho
Somente carinho e amor.

Oh! flor
Mesmo em pleno mar de imensa dor
Queime tua chama com fervor
Se a morte a levar na correnteza
Brilhará no céu mais uma nova Estrela.

Flor.
Mesmo se os anos passarem ciganos
Mesmo que os homens esqueçam tua cor
A flor de que era feito o nosso amor
Molhou-se com a chuva
Gelou de tanto frio e mesmo assim
Desabrochou.

 ESCRITA  PELO MEUAMIGO POETA

PROFESSOR   SÁVIO

 

Um comentário:

Antônio Lídio Gomes disse...

oh francisca minha querida francisca...
quanta doçura vertido de teu coração.
teus poemas são festas, são balsâmos benditos ao meu coração!
bjs de teu leitor que não te esquece