quarta-feira, 17 de março de 2010

Saudades Minhas



Linda saudades tenho
De ti amor, nem sei
Se de ti, ou por ti eu
Choro assim sem fim

Te quero

Na alegria na dor sou
Tua amor, deleito-me
No ter ser, de ter-te
Te procuro sempre e

Não te acho

Tua ausência me dói
Meu corpo procura o
Teu nesta ânsia de ter
Teu corpo ao meu aí

Espero chegar

Poetisa Mensduina

3 comentários:

Antônio Lídio Gomes disse...

Chiquinha Menduina, bom dia!
É com muita alegria que retorno ao teu blog.
Quero desejar-lhe um ótimo dia, e te perguntar como está o estaddo de saúde de sua sobrinha.
URL é o endereço de teu blog.
http://chiquinhamenduina.blogspot.com

Antônio Lídio Gomes disse...

Teu poema [e lindo.
como sempre amo tudo que escreve.
Meu carinho e apreço por tua nobre pessoa.
Bjs.

Antônio Lídio Gomes disse...

Chiquinha, como sei que é uma mulher cristã, te ofereço esse poema.


Vinho de Jesus

Naquele dia festivo de casamento,
Cantores, flautas, e gente a dançar.
Música, tambores, alegre momento,
Que mais poderia alguém desejar?

Banquete, barulho, e o burburinho!
É um casamento das bodas de Caná.
Jesus e sua mãe ali são convidados,
Porém dos potes o vinho já não está.

O Mestre, no entanto nem reclamou,
Pois nada do vinho sequer deixaram,
O Mestre discreto, então calado ficou
Nem mesmo vinho das taças restaram

Maria, mãe cuidadosa falou com Ele,
Então Jesus, com poder logo ordena:
-Despejem a água nesses potes agora!
E Jesus da água, o vinho transforma!

Provaram do vinho, os mestres - sala.
Provaram eles: - Que vinho gostoso!
Alguém exaltado exclamando declara:
-Meu Deus, que vinho mais saboroso!

Com certeza, o vinho que Ele tornou,
Devia ser tão saboroso e muito nobre,
E nesse momento me ponho a pensar,
Lá em Caná e os milagres das bodas:

-O Mestre mostrou que o vinho seria
Bebida nobre, e a todos oferta então.
Bebida das mesas dos ricos e pobres
Do vinho, o sangue embebido no pão.

O sangue que do vinho tinto na taça
O aroma que do vinho branco suave
O doce vinho que da alegria é a vida
Sabor de uma festa e Eterna Paixão.